No dia 11 de março, a OMS declarou pandemia global, em razão de um grave potencial de transmissão da doença. Neste momento em que todo o mundo sofre com as consequências do Corona vírus, existe a expectativa de que a pandemia termine e tudo volte ao seu fluxo normal.

Em meio a todas a notícias que diariamente nos cercam, é natural que não percebamos mudanças quase que programadas à nossa volta, de tendências que já eram fortes, e que foram aceleradas por conta do isolamento social.

A era digital se consolida e traz consigo novos desafios e oportunidades, de forma que todas empresas devam repensar seu modelo de negócio, pois a sua competitividade e margem de lucro mais do que nunca depende de uma boa análise de oportunidades que podem significar pequenas margens de redução de custo, mas que por consequência abrem mercado e se traduzem na saúde do negócio.

Neste post vamos discutir quais são os pontos centrais dessa mudança, e sobretudo a tendência crescente da importância de se inserir na cadeia global de valor.

 

O custo da pandemia e os novos hábitos

A saúde tem sido a pauta central de toda e qualquer discussão recentemente. A tendência, portanto, é que outros tópicos sejam tratados como secundários, como o modelo de negócio das empresas e sua saúde financeira. Para se ter uma noção do tamanho do impacto da pandemia na economia global, estimativas apontam para uma retração na casa de 2.7 trilhões de dólares, fragilizando diversos mercados globalmente.

Ainda assim, o valor das vidas entra em contraste com estes números e gera preocupações ainda maiores. Essa conjuntura traz diversos tópicos como a empatia e a humanização, como já tem sido colocado por diversos veículos da mídia. E este forte sentimento certamente não será esquecido, mesmo depois que a economia tenha se recuperado completamente, e seu impacto para a engrenagem econômica será enorme.

Como resposta a isso, não apenas o marketing deverá ser remodelado e repensado, mas o aproveitamento das cadeias envolvidas deverá ser aumentado, afinal um mercado mais exigente, e sobretudo com culturas de consumo diversificadas forçará as empresas a encontrarem novas lacunas de oportunidade. Certamente alguém as identificará e sairá em vantagem neste período.

A responsabilidade social

Assim como em outros momentos na história, a sociedade presenciou mudanças no cotidiano do trabalho. Novos meios de transporte, novas demandas, reduções da carga horária e as recentes informalizações do trabalho, nos mostram que a mudança é constante e não pode ser ignorada.

As empresas devem estar preparadas para estas mudanças, e algumas destas mudanças são claramente destacadas, e devem ser foco de atenção na busca por espaço num mercado que sairá bastante impactado.

 

A adoção da tecnologia nas atividades chave

O famosos home office e as videoconferências têm sido a grande saída encontrada nesse momento de dificuldade. Plataformas de comunicação, armazenagem de conteúdo e a estrutura móvel para esse tipo de trabalho têm sido muito provavelmente as maiores dificuldades encontradas.

Em diversas companhias, saídas provisórias tiveram de ser implantadas, para garantir que o core das empresas continuasse funcionando. Mas para além de uma experiência do improviso, a adesão de ferramentas e comportamentos digitais é um prenuncio do que está por vir, a incorporação de ferramentas é a realidade do futuro, e deve ser pensada de maneira estratégica a partir de agora.

Tecnologias como as tecnologias 4.0, que já vinham sido desenvolvidas de forma exponencial, ganham ainda maior destaque em diversos segmentos que se junta a novas técnicas e a urgência da inventividade.

 

O novo padrão de higienização

Após o surto de H1N1 há mais de uma década, novos padrões de comportamento e higienização ficaram fixados no cotidiano, hábitos foram mudados e ficaram marcados. Com uma pandemia global, a higienização passa de uma questão de comportamento, e se tornará valor parte do valor de uma marca.

Garantir ambientes higienizado, respeitando as distâncias de segurança, métodos de limpeza e qualidade mais do que nunca agregará valor ao produto. Além da responsabilidade ambiental e social, reforçadas com a pandemia, a excelência coloca seu sarrafo ainda mais alto.

 

O novo normal

O reforço no e-commerce e aplicativos de controle

Diversos apps já tinham se tornado parte da rotina da maioria de nós. A comodidade da não programação, para se locomover, pedir almoço, recarregar o celular, comprar um livro ou um eletrodoméstico. Mais do que nunca, cresce a demanda por esses serviços, e uma dependência por eles que não dá sinais de amenizar.

Tivemos ótimos exemplos de bom arranjo na implementação estratégica de e-commerce, e de plataformas digitais de vendas, como a varejista Magazine e Luiza, que teve um crescimento astronômico de 1000% em alguns anos.

Porém, não é apenas o setor de serviços que se beneficia da tecnologia. Despacho, logística e rasteio também são atividades, da indústria ou distribuição que devem buscar implementar tecnologias a sua cadeia.

Uma boa gestão da alocação de rotas, frotas e prazos passa por bom planejamento e execução. Grandes companhias logísticas e de despacho são munidas de um ótimo TMS (transportation management system). Na nossa rotina de apoio a nossos clientes, não é incomum que os clientes queiram acompanhar periodicamente a rota do caminhão para a entrega dos seus produtos, com empresas de frete parceiras.

A boa gestão de aplicativos dessa ordem não só beneficia o recebedor, que se programará com mais tranquilidade para receber as mercadorias, como também supre uma necessidade, em muito causada pelo imediatismo da era digital: a necessidade por respostas rápidas e automáticas.

Quando um cliente sabe em qual ponto da rota está o caminhão e tem esse ponto de contato, cria uma ideia de valor muito maior de cada parte da cadeia. Se tais tipos de serviços e informações remotas eram diferenciais, agora passarão a ser o padrão do mercado. O mundo está mais integrado.

 

O impacto imediato no comércio internacional

Verificamos um momento produtivo alinhado com uma linha de pensamentos protecionistas. A Volkswagen, por exemplo, busca nacionalizar peças, para não se submeter a instabilidade internacional do momento, tanto logístico quanto financeiro. Diversas outras empresas também postergaram suas importações e exportações, e definitivamente a causa deste panorama é o medo.

Medo porque tudo está instável, e medidas precipitadas neste momento podem significar uma enorme perda. Naturalmente teremos um primeiro semestre de 2020 numa escalada acentuadamente negativa, diversos outros segmentos devem, infelizmente, acompanhar essa trajetória.

Mas com o tempo, o sentimento de medo se transformará em cautela, reforçando a busca por planejamento e estratégia. Isso significa que aqueles valores citados acima vão ser evidenciados, ou seja, responsabilidade social, higienização, controle de ferramentas e tecnologias, trabalhos remotos.

Todas essas demandas, permitirão a criação de marcas mais valiosas e conectadas, mas essa adequação extrai a competitividade financeira, e torna ainda mais relevante a escala de produção. Médias e pequenas empresas precisarão, portanto, de uma gestão eficiente e inteligente se quiserem competir no novo cenário.

É um período tenebroso, tanto do ponto de vista das vidas humanas em jogo, e por consequência, de como vamos reconstruir nossas vidas após o surto. Não atoa Angela Merkel comparou os desafios da pandemia com os da Segunda Guerra Mundial, afinal, as previsões nos mostram indicadores que jamais gostaríamos de ver.

Porém, fica também o ensinamento do pós guerra, da reconstrução de países e economias inteiras, onde novos valores foram empregados, assim como novas formas de produzir e criar. Boa parte dessa reconstrução passou por melhorias e adaptações constantes década após década, e sobretudo pelo comercio internacional.

Após a guerra, foi necessário tirar maior proveito das atividades produtivas, o Toyotismo, por exemplo, foi criado devido a necessidade de reduzir os custos de produção, diminuindo custos com armazenagem, e aproveitando-se das plantas internacionais mais produtivas para ancorar sua montagem, a criadora deste modelo, hoje é a maior empresa do segmento que moveu o mundo no século passado, o automobilístico.

Se pudéssemos tirar algum proveito da história, definitivamente não deveríamos descartar o comércio internacional como uma ótima ferramenta de competitividade, afinal, num mundo mais distante fisicamente, estamos cada vez mais conectados e integrados a tendências globais.

 

A integração digital

Aqui no blog, já falamos sobre as vantagens trazidas pela importação direta. Com um mercado mais integrado, esse tipo de estratégia será gradativamente mais utilizado.

Em adição a isso, ao longo dos anos vimos uma simplificação em algumas operações, como solicitação de radar, a licença da Receita Federal para importações e exportações, a digitalização de partes de processos e ferramentas logísticas inteligentes e uma capacidade de comunicação inédita.

O Despacho Sobre Águas, é um exemplo das tendências de novas facilidades do mercado. Esse método reduz o tempo de negociação por meio de uma inspeção de carga enquanto o navio ainda está em trânsito, e faz parte do Programa Operador Econômico Autorizado.

Isso nos aponta usos inteligentes de tecnologias e as vantagens crescentes que podem trazer, buscando reduzir as adversidades da importação e a exportação, que quem acompanha nosso blog conhece, para que se possa ter acesos a novos mercados e oportunidades.

Em suma, novos valores serão integrados na comercialização de produtos e serviços, e certamente a vantagem estará a favor de quem se preparar melhor para essa nova realidade.

Se existe um momento ideal para essa preparação, esse momento é agora. Estudos e análises buscando a sustentabilidade do negócio, a curto prazo, de medidas a serem implementadas imediatamente, mas também o planejamento de um futuro a médio e longo prazo.

Um melhor aproveitamento das tecnologias e novas disposições de trabalho, como o home office, assim como o acesso a oportunidades de expansão e competitividade, utilizando o comercio exterior como fôlego para as novas adaptações que estão por vir são medidas estratégicas necessárias.

Então que tal começar a se preparar hoje?

No nosso site você encontra diversos materiais com informações relevantes, de produtos, processos e vantagens da importação e exportação direta. Além de uma gama de serviços para quem quer se inserir na cadeia global de valor importando ou exportando pela primeira vez, ou de quem busca melhorar sua integração, em operações estratégicas, passando por relatórios estratégicos até a coordenação de embarques.

 

Questione, aja e conquiste.

 

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

.