O sucesso do e-commerce com a importação

O sucesso do e-commerce com a importação

Você já pensou em importar diretamente para abastecer o seu e-commerce?

Está pensando em aumentar a competitividade do seu negócio, aproveitando a aceleração de meios digitais?

Qualquer que seja seu objetivo, este artigo lhe fornecerá um panorama geral da importação e comércio eletrônico: segmentos, plataformas, dicas e análises, em conjunto com oportunidades que a importação no e-commerce pode trazer.

Antes que tudo, vale lembrar a força do e-commerce que mesmo durante a epidemia tem crescido.

Há alguns dias elaboramos um artigo sobre as mudanças aceleradas com o covid-19 no comercio internacional. O e-commerce, portanto, é um ponto de atenção.

No post te mostraremos as oportunidades com a importação e o o e-commerce.

Continue aqui para saber mais!

 

O tamanho do e-commerce?

O nosso público com mais de 30 anos deve se lembrar, a experiência de comprar era totalmente diferente.

Com o desenvolvimento da internet, e mais recentemente dos smartphones, o processo foi simplificado de forma que hoje, pode ser feito apertando apenas um botão.

Estas compras feitas por dispositivos móveis com internet são conhecidas como e-commerce. Essas transações ocorrem por meio de lojas online.

Como vantagens das compras digitais ante os meios tradicionais são, sobretudo, a comodidade e a diversidade de produtos e fornecedores. Tudo isso joga a favor do e-commerce, que ganha seu espaço.

Esse tipo de compra tem crescido de maneira que, Segundo a Nasdaq, 18% das compras no Reino Unido, mercado extremamente desenvolvido, são feitas online.

Ainda sobre os britânicos, os millenials (geração pós 2000), por exemplo, compram 54% de seus produtos pela internet.

Esses dados seguem uma tendência que é global.

Enquanto estruturas físicas têm fechado no mundo todo, as plataformas online têm crescido.

Em outras palavras, das aproximadamente 7,7 bilhões de pessoas no mundo, 1,92 bilhões fazem compras digitais.

Não apenas trata-se de uma cifra enorme, como a previsão é de que em 2021 sejam 2,14 bi.

O mercado brasileiro não é exceção à essa tendência, como veremos no próximo tópico.

 

O e-commerce brasileiro em perspectiva

Mesmo que você nunca tenha realizado uma compra online, certamente já pesquisou por anúncios para encontrar faixas de valor de um produto.

Simultaneamente, propagandas em redes sociais, ou em outros sites surgem a cada rolagem.

Apesar de mais recentes estas abordagens, o e-commerce no Brasil tem cerca de duas décadas.

À medida que a internet alcançava mais e mais brasileiros, o e-commerce se desenvolvia na mesma proporção.

Assim, fatores relacionados com a qualidade de sinal e capacidade abriam cada vez mais espaço para o desenvolvimento de outras vertentes.

Aos poucos, sites da internet foram ganhando visibilidade e confiança. Os compradores mais receosos foram se rendendo à comodidade.

Um exemplo desse crescimento era a alta expectativa da eBit Nielsen, empresa que acompanha o mercado. A empresa estimava um crescimento de 15% em 2019, o crescimento real foi de 16,3%.

Com isso, o valor das vendas totais foram de 61,9 bilhões.

 Crescimento do e-commerce
Fonte: 40ª edição do relatorio webshoppers, eBit.

Não só cresceu o valor total dos pedidos, como a quantidade de compras também, que foi de 148,4 milhões.

Como o crescimento do número de compras superou o faturamento, o ticket médio caiu de R$434 para R$417.

Ainda, Segundo o SEBRAE, o Brasil é o terceiro país com maior percentual de compras online. Segundo a instituição, a participação do e-commerce é de 59,1%.

O país é o líder na América Latina. De acordo com a Forbes, são mais de 119 milhões de consumidores no Brasil.

Porém, esse crescimento, assim como ocorre na economia, é segmentado. Entender essas tendências é fundamental para avaliar seu risco. É o que faremos no tópico seguinte.

 

Principais segmentos no Brasil em 2019

Vimos no tópico anterior que o e-commerce no Brasil tem crescido nos últimos anos, e desde 2016 tem re-acelerado.

A inserção das classes mais baixas nos meios digitais ajudam a explicar esse número.

Conjuntamente, hoje a geração dos millenials, aquela que já cresceu com celulares nas mãos, está alcançando a idade de economicamente ativos.

Se persona e produto estão invariavelmente conectados, essas informações são muito valiosas. Assim, a análise das vendas deve compor como fatores tais informações.

Finalmente, sobre os produtos, os tipos mais consumidos são: de moda e acessórios, produtos de beleza, mercadorias para pet, eletroeletrônicos e celulares. E é sobre eles que vamos falar.

Produtos em destaque

No último ano, nas vendas B2C (business to customer) alguns setores tiveram crescimento expressivo, explicando o aumento em 16,3% no volume. Abaixo temos os dados retirados da 40ª edição do relatório webshoppers da eBit:

Variação de número de pedidos em destaque

 

Vemos uma grande variação não só no crescimento, como também no ticket médio de cada setor.

No entanto, acessórios automotivos e móveis para escritório apresentam o maior ticket médio. Enquanto no percentual de pedidos, moda e acessórios em conjunto com perfumaria e cosméticos representam 36%.

Novamente, produtos diferentes, margens de lucro muito variáveis e taxa de crescimento diversas.

Seja como for, há mais de 930 mil sites de compras online no mercado brasileiro. Em razão dessa diversidade, 73,66% das lojas virtuais têm um catálogo com menos de 10 opções de produto.

Tão importante quanto a qualidade, preço e confiança, são o resultado de buscas, isso é: como um lead, um cliente em potencial encontra os anúncios?

Além dos buscadores, as redes sociais têm mostrado muita relevância, como nos mostra o infográfico:

Redes sociais como motivador de compra

Com especial destaque, o Facebook tem sido a rede mais utilizada como motivador de compra. Assim, ser destaque passa por um bom trabalho nas redes, assim como um marketplace bem elaborado.

Um indicador preocupante, porém, é o tempo de vida dos e-commerces no Brasil, que é de 1 ano e 4 meses.

Mostrando que muitas vezes, mesmo com uma estratégia bem pensada, sobretudo pequenos negócios não sobrevivem.

Aqui no blog quase catequizamos nossos leitores, trazendo o tema da redução de custo. Sim, redução de custos por meio da importação.

Você já deve ter lido nossos artigos da série “Como importar”, já falamos de vinhos, rolamentos, azeite e até mesmo luvas.

Esses produtos se enquadram nas categorias de maior crescimento, e há algo em comum neles. São em geral produtos importáveis no e-commerce.

A importação como diferencial

Após a análise dos setores em evidência do e-commerce, notamos que diversos são importáveis.

Mas afinal, o que isso quer dizer, qualquer item é importável, desde que haja alguém ofertando, e alguém disposto a pagar o valor.

Pois bem, vamos a uma breve definição: importável aqui significa um produto que ofereça qualidade, preço e disponibilidade.

Tudo o que sua empresa de e-commerce quer, certo?

Com empenho tudo isso pode ser agregado ao valor do seu negócio pela importação no e-commerce.

No entanto, atenção. Me lembro do caso em que um cliente queria comprar uma máquina num destes sites de produtos chineses.

O valor estava dentro do seu orçamento, era só converter o valor de dólar para reais e pronto. O que poderia dar errado?

Pois bem, tudo poderia dar errado. O valor era FOB (free on board). Para quem é mais habituado com incoterms sabe que esse valor diz respeito às responsabilidades do exportador até colocar o produto no porto de saída.

Isso significa que o valor do frete internacional, frete interno, custos adicionais e impostos não estavam inclusos, e o desestimulamos a continuar.

Imagino a surpresa que ele teria ao receber um valor duas ou três vezes maior do que planejava.

Assim, vamos fazer um resumo de etapas que devem ser seguidas para evitar situações como essa.

Desenvolvendo fornecedor e mercado

Antes de mais nada, “uma corrente é tão forte quanto seu elo mais fraco”. Esse bordão muito usado para descrever um bom supply chain management é bem apropriado.

O desenvolvimento de um fornecedor de qualidade para importação no e-commerce, é garantia de processos mais tranquilos.

Primeiramente, devemos decidir em qual mercado buscar esses fornecedores.

Com base no seu produto, o mercado exportador pode ser definido. Usualmente, a maioria dos produtos de e-commerce na importação tendem a apontar para o mercado chinês.

Por outro lado, a resposta pode estar em outros mercados. Recentemente pontuamos características centrais do mercado americano, argentino e chinês.

Decidido o mercado, uma avaliação deve ser feita.

Quanto mais informação, melhor. Com o tempo e à medida em que novos pedidos são colocados, se fortalece a colaboração.

Assim, para sua sobrevivência, não tenha fornecedores, tenha parceiros.

O valor da marca

Alguns produtos são dominados por algumas marcas, como é o caso de smartphones, por exemplo. Existem outros em que a marca não infere tanto na avaliação dos clientes, o caso de peças de automóveis.

Ainda que inserir-se num mercado não seja tarefa fácil, tende a ser mais favorável quando marca não é tema fundamental.

Marcas consolidadas em geral têm acordos com distribuidoras locais. Assim, mesmo que seu processo logístico seja impecável, dificilmente os alcançará em preço.

Nesse sentido, busque consolidar a sua marca. Ao buscar seus fornecedores, não preze apenas por preço.

Parcerias de qualidade não apenas vão garantir avaliações mais altas, com também te darão mais segurança em disponibilidade de produtos.

Segurança que deve ser assegurada na importação também.

O processo de importação

De nada adianta uma excelente negociação, prazos de produção reduzidos e programação de estoque, se o processo de importação no e-commerce gerar custos extras por falta de conhecimento.

Invista num time qualificado. Bons agentes de carga, brokers, terminais, empresas de câmbio, entre outros, são mais que bem vindos.

Igualmente, conhecimento interno é relevante. A contratação de profissionais experientes em comercio exterior não podem ser considerados como custo, são investimento.

A IBSolutions tem parceria hoje com todos os elos do processo, e fornece a coordenação de embarques de ponta a ponta. O conhecimento que você precisa, com a qualidade que você quer.

Foco no momento e estoque

Podemos adicionar a todos os pontos acima, a quantidade ideal para importar no seu negócio digital.

A verdade é que, bem, depende. Aqui no blog, sempre falamos de lote econômico, que em resumo é a opção logística mais interessante.

Com a sazonalidade do e-commerce, mais do que qualquer loja, projeções e controle de estoque são muito importantes.

A cotação do dólar e o valor do mercado interno devem ser fiscalizados de perto.

Mas também, atenção a grandes acontecimentos, pois podem desencadear oportunidades.

Como é o caso da recente pandemia. A venda de snacks, como chocolates, salgadinhos e similares, aumentou 722% durante os primeiros 15 dias de abril.

Jogos eletrônicos, roteadores e laptops tiveram um crescimento de 315, 193 e 169% respectivamente.

Se existe um mercado que vai, de alguma forma se beneficiar da pandemia e seu legado, definitivamente estamos falando do comercio eletrônico.

Dessa maneira, uma análise de momento é fundamental para a tomada de decisões, que incluem, o momento ideal para importar.

 

Soluções IBSolutions para E-Commerce

As soluções acima foram desenvolvidas ao longo dos mais de 15 anos de experiências dos sócios da IBSolutions e dos projetos que temos desenvolvido ao longo dos últimos anos para muitos empreendedores que querem começar um negócio na internet ou que já vendem e que buscam a importação direta.

Além dos estudos e análises acima, também temos toda a estrutura para coordenar os embarques de importação desde a origem até o local do importador. Temos a solução de ponta a ponta para a importação direta.

É importante ressaltar que temos no surpreendido com as oportunidades que têm surgido nesse momento de crise, pois muitos fornecedores atuais estão deixando de importar, o que abre espaço para novos negócios. Além disso, é possível desenvolver um projeto adequado para cada porte de cliente de e-commerce, não sendo a importação uma realidade apenas para as médias e grandes empresas.

 

Conclusão

Vimos que os negócios digitais têm crescido muito, e têm um grande potencial pela frente.

Destacadamente, o e-commerce ocupa um espaço central nesse tema.

A importação no e-commerce, portanto, pode ser o diferencial que te permitirá ascender no seu mercado.

Com bom planejamento, paciência e boas parcerias, seu produto está garantido, em preço e qualidade.

Isso tudo pede um marketplace de confiança, que faça jus ao que sua companhia pode oferecer.

Definitivamente, seguindo nossas recomendações, e avaliando os principais riscos de modo a evitá-los, você obterá bons resultados com e-commerce no Brasil.

.

Questione, aja e conquiste.

.

Quer saber mais sobre processo de importação, desenvolvimento de fornecedores ou produtos? Confira mais posts no nosso blog.

.